Quatro benefícios da sabedoria (Série ECLESIASTES 26)

Ec 7.10-12         03/10/2021         69 minutos

Pregação por Pr. Mauro Clark

headset Ouça
cloud_download Baixe
print Imprima
pregação close Quatro benefícios da sabedoria (Série ECLESIASTES 26)
volume_upReproduzindo o áudio na barra inferior
 

Assunto em comum nesses três versículos: sabedoria.

Até aqui, Salomão já havia falado 12 vezes sobre sabedoria.

Várias delas falando da própria sabedoria dele, e da profunda reflexão sobre o real significado e valor da sabedoria (comparada com a loucura e a estultícia).

Além disso, afirmou sobre a sabedoria:

1.18: Na muita sabedoria há muito enfado.

2.13: A sabedoria é mais proveitosa do que a insensatez.

2.15: Buscar mais sabedoria terrena não traz proveito, pois o que acontece com o sábio, também ocorre com o tolo.

2.26: Deus se dispõe a dar sabedoria a quem lhe agrada.

 

Nesses 3 versículos, ensina mais quatro lições sobre sabedoria.

E até o final do livro, ainda falará mais 12 vezes sobre sabedoria, com mais lições.

 

Quatro lições nesse trecho:

1ª: v.10:

Nunca pergunte: “Por que os dias passados foram melhores que os de agora?” Pois não é sábio fazer essa pergunta.
Salomão não explica porque não é sábio fazer essa pergunta.

Sugestões de motivos:

* Mostra expectativa de que todos os dias devem ser bons, o que é totalmente fora da realidade e, portanto será frustrada.

Inclusive, o v.14 instrui a como reagir nessa variação entre dias bons e dias ruins.

 

* O costume de ficar se lembrando muito do passado pode gerar nostalgia, uma saudade meio paralisante dos “velhos tempos”, vontade de voltar no tempo.

Ora, essas coisas não trazem benefícios para a realidade do dia a dia. (“Águas passadas não movem moinho”).

Isso não significa que devemos nos livrar do passado, a ponto de nem ver fotos!

As boas lembranças fazem parte do nosso patrimônio de vida.

Além disso, o passado é muito útil quando é para tirar lições – positivas e negativas.

 

Então, o que a Palavra de Deus adverte é que não é coisa simples lidar com o passado.

Por isso mesmo é necessário ter sabedoria para isso.

O NT contém várias passagens que apontam nessa direção de deixar o passado no lugar dele (ou seja, no passado!) e olhar para a frente:

Fp 3.13-14; 2.12; Lc 9.62; 2Co 5.16; Hb 6.1; 12.1-2

 

Lição extra, passando do particular para o geral: há perguntas (ou indagações, ou especulações) que é melhor não fazer. Não é sábio querer saber tudo de tudo!

2ª. - v.11a:

Boa é a sabedoria havendo herança (hebr.: propriedade)

A ideia parece ser que posse de bens pode ser muito positiva se houver sabedoria ao lidar com a patrimônio (talvez, mas não obrigatoriamente, herdado).

O assunto não é o valor intrínseco da sabedoria, mas o que ela pode produzir em termos práticos, se houver disponibilidade de dinheiro.

Um rico que tenha sabedoria pode ter um tipo de utilidade à humanidade que um pobre não pode, mesmo também tendo sabedoria. (Ec 9.16)

 

- Mas, como não sou rico, isso não tem nada a ver comigo!

Tem, sim. Tudo a ver! Ainda mais porque o texto nem fala em riqueza, mas em propriedade, possessão.

Um carrinho usado é propriedade tanto quanto um Porsche de 1,5 milhões!

Uma poupança de dois mil reais é propriedade tanto quanto uma de dois milhões.

É preciso sabedoria para saber usar tanto uma como a outra! É questão de proporção.

Seja qual for o tamanho das suas posses, peça a Deus sabedoria para utilizá-las.

 

3ª – v. 11b:

... ela (a sabedoria) é proveitosa para os que veem o sol

proveitosa: hebr: superior, ter vantagem sobre, ser melhor

ver o sol: muitos interpretam no sentido mais comum da expressão: “estar vivo”.

Ou seja, a sabedoria é útil para ser utilizada nesta vida. Não vejo muito sentido.

É dificil. Sugiro que talvez seja metáfora para “enxergar coisas ao redor”.

Nesse caso, significa que a sabedoria é muito melhor aproveitada se utilizada por quem presta atenção, quer aprender, interessado em aplicar o que aprendeu.

Sem importar o quanto de sabedoria você tem, procure observar a vida, comparando com o que ensina a Palavra de Deus.

E tire conclusões para levar a efeito na sua vida.

Sei que esse tipo de exortação é na contramão da realidade superficial de hoje, ainda mais tornada turva pelas notícias falsas, a mentira que impera hoje no mundo.

Mas o crente não pode andar nos caminhos do mundo. Tem que andar é na contramão mesmo! O caminho dele é o da Bíblia: Js 1.8; Jó 5.27; Sl 1.2; Pv 15.28

No v. 14, Salomão voltará a falar da importância de considerar, pensar, refletir.

 

4ª – v. 12:

A sabedoria protege do mesmo modo que o dinheiro mas a vantagem da sabedoria é que ela dá vida a quem a possui.
A quarta lição sobre sabedoria é que ela protege.

De fato, há muitas passagens na Bíblia sobre os benefícios da sabedoria.

Mas em vez de afirmar isso de modo absoluto, Salomão faz de modo comparativo.

Ele compara a proteção da sabedoria com outro tipo de protecao: a do dinheiro.

 

Interessante sobre o dinheiro:

A Bíblia não chega a reprovar o dinheiro, em essência, mas condena de maneira tão forte o amor ao dinheiro, e os perigos da riqueza, que não deixa dúvidas que dinheiro é algo que requer muito cuidado, ao ter e aplicar.

Vemos então no texto algo raro: por duas vezes seguidas, a Palavra de Deus se refere a dinheiro de modo positivo (a 1ª. foi no v. 11, conforme vimos).

Desta vez Salomão admite que dinheiro ajuda a proteger quem o possui.

De fato, é um tanto quanto óbvio que o dinheiro proporciona uma proteção contra muitos males deste mundo – saúde, segurança, melhores condições de vida, etc.

Por que tantos poupam o possível? Segurança para eventualidades futuras.

(O problema é que somos tentados a nos sentir seguros demais com o dinheiro – mas isso é outro assunto!).

 

Voltando:

Mas o dinheiro não é o assunto principal aqui. É referido apenas como uma comparação com o assunto realmente em foco aqui, que é sabedoria.

E nessa comparação, o dinheiro perde feio!

 

... a sabedoria dá vida:

Pode estar se referindo ao sentido de prolongar a vida na terra, de melhor adaptar seu possuidor à vida aqui na terra.

Claro que o dinheiro ajuda a prolongar a vida nesse sentido, mas não na dimensão que a sabedoria faz.

O dinheiro compra coisas, serviços, etc, mas de uma maneiro fria, comercial.

Já a sabedoria, concede um poder enorme a quem a possui.

A sabedoria tem a chave para muitos assuntos complicados da vida, explicações, noções de como avaliar situações, como se comportar, etc.

Pv 16.16;  2.1-5, 7,11; 13.14

 

Vários comentaristas acham que Salomão se referia à esfera espiritual (ou a ambas).

A verdadeira sabedoria do alto leva à vida eterna! Sl 111.10; Pv 3.18

O temor a Deus é o começo da caminhada junto a Cristo!

Era esse tipo de sabedoria que foi concedida a Paulo (e, guardada as proporções, aos crentes em geral) para pregar o Evangelho: 1Co 2.6-7

 

Que Deus nos abençoe! Amém

Igreja Batista Luz do Mundo © 2008-2021
R. A, nº 53, Bairro de Lourdes (Dunas), Fortaleza - CE
E-mail: contato@luzdomundo.org.br
Telefone: (85) 98740-4743
close
Igreja Batista Luz do Mundo © 2008-2021 - www.luzdomundo.org
R. A, nº 53 - De Lourdes, Fortaleza - CE